Curta a Nossa
FANPAGE
REVISTA MERCOSUL
For Export
Visitas: 2.685.413 | Email: info@ccmercosul.org.br | Telefone: +55 (11) 5524-6370

FIQUE POR DENTRO


Superávit comercial com a Argentina cai 72%

Em 2012, saldo positivo favorável ao Brasil desabou para US$ 1,56 bi, fruto de barreiras impostas pelo país vizinho e da desaceleração da economia local.

O expressivo superávit comercial que o Brasil ostentou com a Argentina durante uma década está cada vez menor. Segundo a consultoria portenha Abeceb, o saldo favorável ao mercado brasileiro desabou 73% em 2012 em comparação com 2011. No ano que acaba de ser encerrado, o superávit brasileiro foi de apenas US$ 1,56 bilhão, 72% inferior à marca de US$ 5,804 bilhões registrada em 2011.

O encolhimento do saldo favorável ao Brasil foi provocado pelas barreiras aplicadas pelo governo da presidente Cristina Kirchner contra a entrada de produtos estrangeiros. Além disso, pesou a queda da própria demanda argentina em um ano no qual a economia local esfriou.

As barreiras - das quais a presidente Dilma Rousseff reclamou em novembro durante a reunião das cúpulas industriais de ambos países na Argentina - estão teoricamente destinadas a produtos de todo o mundo.

No entanto, também atingiram o Brasil, apesar de ferir o espírito de livre comércio do Mercosul. Dentro da mira do governo argentino há produtos brasileiros tão variados como autopeças, carne suína (que sofre problemas graves há um ano, apesar de um acordo entre ministros do setor para destravar as barreiras) e doces, entre outros.

As exportações brasileiras destinadas ao mercado argentino caíram 20,7% no ano passado. Na contramão, as vendas argentinas para o Brasil somente sofreram uma redução de 2,7%.

O fluxo comercial bilateral registrou uma queda geral de 13%. No total, o Brasil exportou para a Argentina US$ 18,003 bilhões, enquanto que o mercado brasileiro absorveu US$ 16,443 bilhões de produtos 'hechos en Argentina'.

Em 2012 a Argentina importou menos automóveis do Brasil, além de autopeças, máquinas, aparelhos eletrônicos, minério de fero, plásticos e suas manufaturas, produtos siderúrgicos, combustíveis e lubrificantes, borracha, papel e produtos químicos, entre outros.

Déficit em dezembro. Segundo a consultoria Abeceb, as vendas argentinas ao mercado brasileiro em dezembro registraram um total de US$ 1,567 bilhão, volume que indica um aumento de 16,5% em comparação com o mesmo mês de 2011.

No entanto, as vendas brasileiras ao mercado argentino em dezembro - de US$ 1,346 bilhão - registraram uma queda de 24% em comparação com o mesmo mês de 2011. Desta forma, especificamente em dezembro, o Brasil teve um déficit de US$ 221 milhões com a Argentina.

Um ano antes, em dezembro 2011, o Brasil havia tido um superávit de US$ 426 milhões com o país vizinho.

O comércio bilateral em 2012 foi de US$ 34,44 bilhões, volume que indica uma queda em relação a 2011, ano que marcou o recorde do intercâmbio bilateral, quando alcançou a marca de US$ 39,6 bilhões.

Em 2010, o intercâmbio foi de US$ 32,9 bilhões. A marca anterior havia sido registrada em 2008, quando o volume de intercâmbio comercial chegou a US$ 30,8 bilhões. Na virada do século, no ano 2000, o comércio bilateral foi de US$ 13,2 bilhões.
Câmara de Comércio do Mercosul e Américas
+55 (11) 5524-6370 | info@ccmercosul.org.br
Agência WebSide