Curta a Nossa
FANPAGE
REVISTA MERCOSUL
For Export
Visitas: 2.615.809 | Email: info@ccmercosul.org.br | Telefone: +55 (11) 5524-6370

FIQUE POR DENTRO


Dilma enfrenta obstáculos para fazer economia crescer, diz ‘NYT’

Jornal ressalta que inflação segue alta e prejudica os mais pobres.
Falta de infraestrutura é apontada como causa para alta de preços.

Após uma década de crescimento rápido e renda em expansão, o Brasil se vê em dificuldades, que testam a habilidade do governo para administrar a economia e satisfazer as crescentes aspirações da população, diz o jornal “The New York Times” em editorial publicado nesta quarta-feira (9). (clique aqui para ler o texto, em inglês)
Segundo a publicação, a presidente Dilma Rousseff precisa avançar em reformas políticas e em projetos de investimento público para fazer “renascer” o crescimento e voltar a trazer a inflação sob controle. O jornal ressalta que, em 2011, a economia brasileira cresceu apenas 0,9%, porque os investimentos privados tiveram retração.

O “New York Times” destaca que o Brasil registrou “ganhos impressionantes” durante os governos de Dilma e de Lula, como a melhora da renda das populações mais pobres por meio do programa Bolsa Família e a queda em quase 50% na taxa de mortalidade infantil.

Mas destaca que a desigualdade de renda permanece alta, e que a inflação, que prejudica o poder de compra, está prejudicando principalmente os mais pobres.
“Pessoas morando em cidades como São Paulo pagam mais por comida e outros bens básicos que pessoas em outros países comparáveis. Um grande motivo para os preços altos é que o governo não construiu estradas, ferrovias, portos e outros itens de infraestrutura suficientes para fazer frente ao crescimento da economia”, diz o texto.

A publicação critica, ainda, a educação do país, “que faz um trabalho pobre ao preparar jovens para trabalhos nos setores da indústria e serviços. Em um texto internacional de leitura, matemática e ciências com pessoas de 15 anos, os estudantes brasileiros ficaram abaixo de países como Uruguai, México e Colômbia”.
“O país viu avanços sociais em curto período, e agora seus cidadãos esperam mais de seus líderes”, diz o jornal.
Câmara de Comércio do Mercosul e Américas
+55 (11) 5524-6370 | info@ccmercosul.org.br
Agência WebSide