Curta a Nossa
FANPAGE
REVISTA MERCOSUL
For Export
Visitas: 2.617.426 | Email: info@ccmercosul.org.br | Telefone: +55 (11) 5524-6370

FIQUE POR DENTRO


Paraguai serve de alerta para Caracas

O governo brasileiro fez chegar à Venezuela que qualquer solução não democrática para a crise seria tratada com o mesmo rigor reservado ao Paraguai, em 2012. A suspensão do Mercosul e da União das Nações Sul-Americanas seria imediata.

Apesar da política de não ingerência, a avaliação dos diplomatas era de que o recado de inconformidade com qualquer quebra na institucionalidade precisava ser passado e o Brasil lideraria uma eventual reação. O País, que ajudou a desarmar a intenção dos blocos regionais, Celac e Unasul, de realizarem reuniões específicas para tratar da situação, entende que o clima está mais calmo.

O aviso serviu para os dois lados. O governo brasileiro não fez contato direto com os oposicionistas, mas os grupos contrários ao presidente Nicolás Maduro sabem que o discurso de derrubar o governo adotado por partidários de Leopoldo López, não seria aceito na região.

As conversas da diplomacia brasileira com os venezuelanos têm sido frequentes, não apenas com o chanceler Elías Jaua, mas com outros interlocutores do Brasil, como o ex-embaixador em Brasília e assessor especial da presidência da Venezuela, Maximilien Arvelaiz - indicado por Maduro para assumir a embaixada em Washington -, ainda muito próximo da chancelaria brasileira. A nomeação de um homem de confiança de Maduro foi vista como um sinal de que a Venezuela está tentando normalizar as relações com os EUA.
Câmara de Comércio do Mercosul e Américas
+55 (11) 5524-6370 | info@ccmercosul.org.br
Agência WebSide